Curta nossa página e acompanhe tudo o que acontece!

Pesquisa

quarta-feira, 15 de maio de 2013

Projeto Identidade e autonomia: Plante esta ideia!

Recebi este belíssimo projeto da Sônia Neves, ela desenvolveu este projeto e está trabalhando com seus alunos no CEI Odete Ramos Poltronieri. Um excelente projeto e super completo, deixo aqui meus agradecimentos por sua colaboração aqui no blog "Meus Trabalhos Pedagógicos"


PROJETO:
IDENTIDADE E AUTONOMIA: PLANTE ESTA IDEIA!


Camboriú – SC, Março de 2013.


PROFESSORA AUTORA: SÔNIA NEVES

PROFESSORAS EXECUTADORAS DO PROJETO:
PROFESSORA REGENTE: SÔNIA NEVES

CONCEITO – FAIXA ETÁRIA:
MATERNAL II – (03 ANOS a 04 ANOS)
GRUPO: JOANINHA


PROJETO:
IDENTIDADE E AUTONOMIA: PLANTE ESTA IDEIA!

“A educação é o ponto em que decidimos se amamos o mundo o bastante para assumirmos a responsabilidade por ele e, com tal gesto, salvá-lo da ruína que seria inevitável não fosse à renovação e a vinda dos novos e dos jovens. A educação é, também, onde decidimos se amamos nossas crianças o bastante para não expulsá-las de nosso mundo e abandoná-las a seus próprios recursos, e tampouco arrancar de suas mãos a oportunidade de empreender alguma coisa nova e imprevista para nós, preparando-as em vez disso com antecedência para a tarefa de renovar um mundo comum.” (ARENDT, 1972, p. 247).


  1. JUSTIFICATIVA

A construção da identidade se dá por meio das interações da criança com o seu meio social. A escola de Educação Infantil é um universo social diferente do da família, favorecendo novas interações, ampliando desta maneira seus conhecimentos a respeito de si e dos outros. A auto-imagem também é construída a partir das relações estabelecidas nos grupos em que a criança convive.

A escola, desde sua constituição na modernidade, tem o papel social de mostrar o mundo às crianças e aos jovens e, com isso, dar continuidade a ele ao propiciar as crianças e jovens os conhecimentos culturais e históricos produzidos pela humanidade e tidos como necessários de serem apreendidos. (TUSSI, Dorcas; TOMAZZETTI, Cleonice Maria, 2010).


Um ambiente rico em interações, que acolha as particularidades de cada indivíduo, promova o reconhecimento das diversidades, aceitando-as e respeitando-as, ao mesmo tempo em que contribui para a construção da unidade coletiva, favorece a estruturação da identidade, bem como de uma auto-imagem positiva.
Neste âmbito, este projeto tem como objetivo, o conhecimento global do ser humano: conhecendo seu corpo, ampliando conceitos de higiene e saúde, descobrindo que o indivíduo está presente em todas as comunidades, relacionando-se com outros seres e com todo o ambiente onde vive e identificando e analisando diferenças, conceitos, pré - conceitos, características, valores de toda uma sociedade a qual ele está inserido.
Sendo assim, por meio deste projeto pretendemos levar ao conhecimento de nossos alunos um ambiente simples e natural e como devemos cuidar deste ambiente em que vivemos. Conforme VYGOTSKY (1987), o meio transforma o indivíduo, por isto, por meio de estratégias pré – estabelecidas, colocaremos os alunos em contato com este mundo maravilhoso que é o interior de Camboriú, nossos costumes e nossa agricultura local.
Consideramos que as situações educativas que a criança vive na escola e a maneira como as educadoras tratam essas atuações serão muito importantes na formação dos conceitos de si mesmas.
Na escola, quando as crianças aprendem, por exemplo, a cultivar uma horta, estão também aprendendo muitas coisas sobre elas mesmas e que permite formar uma opinião sobre si e conceitos sobre a importância de cuidar e preservar o ambiente em que vivem, além de desenvolver conceitos importantes de autonomia, como o “cuidar de algo” que faz bem para si e para os outros.
Portanto, a construção de uma auto-imagem positiva requer que, na escola, as crianças tenham experiências em situações que lhes permita ganhar confiança em suas capacidades e que sejam vistas como crianças com possibilidades de fazer e não apenas receber “pronto”. Isso dá segurança, que é um elemento básico para atrever-se a explorar novas situações, novas experiências.

  1. OBJETIVO GERAL

Promover a integração dos alunos, a apropriação da escrita e valorização do seu nome próprio, bem como no resgate da dignidade e da cidadania, através do fortalecimento da identidade, da cultura, e do restabelecimento da auto-estima é o objetivo geral deste projeto.

  1. OBJETIVOS ESPECÍFICOS

Ø  Proporcionar ao aluno a apropriação de sua identidade;
Ø  Conhecer a história e o significado de seu nome;
Ø  Desenvolver a autonomia, a auto-confiança e auto-estima do aluno;
Ø  Aquisição de novas formas de relações consigo com o outro e com a sociedade;
Ø  Adquirir noções fundamentais sobre  a higiene em nossa vida;
Ø  Reconhecer a importância e a  necessidade de se ter uma boa higiene corporal, bucal e mental;
Ø  Desenvolver o hábito de cuidar de si mesmo;
Ø  Valorizar seu corpo, sua saúde, sua vida, seu meio social e ambiental;
Ø  Diferenciar os vários tipos de família e os membros que a compõe;
Ø  Conhecer seus antepassados;
Ø  Identificar tipos de moradia e formas de construções;
Ø  Coletar dados por meio de pesquisas e observações;
Ø  Identificar a escola como espaço propiciador da valorização do indivíduo e da real função da identificação de si mesmo, do próximo, do ambiente que vive e do ambiente escolar;
Ø  Elaborar Diário de Bordo como ferramenta de auxílio no processo avaliativo;
Ø  Promover cotidianamente a exposição e divulgação das atividades desenvolvidas pelos alunos e professoras.



  1. CONTEÚDOS POR EIXOS CONTEMPLADOS

Todos os sete Eixos que norteiam o currículo da Educação Infantil serão contemplados, são eles, a saber:

Identidade e Autonomia:

  • Reconhecimento progressivo de segmentos e elementos do próprio corpo por meio da exploração, das brincadeiras, do uso do espelho e da interação com os outros.
  • Expressão de sensações e ritmos corporais por meio de gestos, posturas e da linguagem oral.

Natureza e Sociedade:

o       Participação em atividades que envolvam histórias, brincadeiras, jogos e canções que digam respeito às tradições culturais de sua comunidade e de outros grupos.
o       Exploração de diferentes objetos, de suas propriedades e de relações simples de causa e efeito;
o       Contato com pequenos animais e plantas;
o       Conhecimento do próprio corpo por meio do uso e da exploração de suas habilidades físicas, motoras e perceptivas.

Movimento:

• Reconhecimento progressivo de segmentos e elementos do próprio corpo por meio da exploração, das brincadeiras, do uso do espelho e da interação com os outros.
• Expressão de sensações e ritmos corporais por meio de gestos, posturas e da linguagem oral.

Artes Visuais:

• Exploração e manipulação de materiais, como lápis e pincéis de diferentes texturas e espessuras, brochas, carvão, carimbo etc.; de meios, como tintas, água, areia, terra, argila etc.; e de variados suportes gráficos, como jornal, papel, papelão, parede, chão, caixas, madeiras etc.
• Exploração e reconhecimento de diferentes movimentos gestuais, visando à produção de marcas gráficas.
• Cuidado com o próprio corpo e dos colegas no contato com os suportes e materiais de artes.
• Cuidado com os materiais e com os trabalhos e objetos produzidos individualmente ou em grupo.


Linguagem Oral e Escrita:

        Uso da linguagem oral para conversar, comunicar-se, relatar suas vivências e expressar desejos, vontades, necessidades e sentimentos, nas diversas situações de interação presentes no cotidiano.
        Participação em situações de leitura de diferentes gêneros feita pelos adultos, como contos, poemas, parlendas, trava-línguas, etc.
        Participação em situações cotidianas nas quais se faz necessário o uso da leitura e da escrita.
        Observação e manuseio de materiais impressos, como livros, revistas, histórias em quadrinhos etc.

Música:

• Exploração, expressão e produção do silêncio e de sons com a voz, o corpo, o entorno e materiais sonoros diversos.
• Interpretação de músicas e canções diversas.
• Participação em brincadeiras e jogos cantados e rítmicos.
Matemática:

• Utilização da contagem oral, de noções de quantidade, de tempo e de espaço em jogos, brincadeiras e músicas junto com o professor e nos diversos contextos nos quais as crianças reconheçam essa utilização como necessária.
• Manipulação e exploração de objetos e brinquedos, em situações organizadas de forma a existirem quantidades individuais suficientes para que cada criança possa descobrir as características e propriedades principais e suas possibilidades associativas: empilhar, rolar, transvasar, encaixar etc.

  1. ESTRATÉGIAS

o   Contação de histórias por meio de diferentes meios (livros, fantoches, etc);
o   Cantigas de roda nos diferentes momentos estabelecidos na rotina diária;
o   Atividades com imagens (fotos) dos familiares;
o   Atividades com diversos objetos sonoros, de textura, etc;
o   Construção de brincadeiras;
o   Sessão cineminha;
o   Entrevista com os pais e familiares;
o   Releitura de obras de arte;
o   Cantigas e músicas infantis;
o   Plantação e cultivo do canteiro da horta escolar;
o   Brincadeiras e cantigas que incluem diferentes formas de contagem: “a galinha do vizinho bota ovo amarelinho; bota um, bota dois, bota três, bota quatro, bota cinco, bota seis, bota sete, bota oito, bota nove e bota dez”; “um, dois feijão com arroz; três, quatro, feijão no prato; cinco, seis, feijão inglês; sete, oito, comer biscoito; nove, dez, comer pastéis”.

  1. ESTRATÉGIAS ESPECÍFICAS PARA O TRABALHO COM O CULTIVO DA HORTA ESCOLAR:

Ø  Daremos início ao projeto com uma conversa sobre o solo, ou seja, o chão que pisamos. Dizer que o solo é chamado de terra, que ele é formado de minúsculos pedacinhos de rochas e de animais e vegetais mortos. É no solo que plantamos, andamos etc. É no solo que vive a maioria dos animais. Alguns animais vivem dentro do solo: as formigas, minhocas. Explicar que o solo é formado por uma mistura de areia, barro, restos de animais, vegetais e pedras.
Ø  Fazer um trabalho com as crianças onde terão que trazer para a sala algum tipo de solo: areia, barro, argila, etc. Faremos desenhos e pinturas.
Ø  Sobre a água iremos conversar sobre sua importância para a vida na Terra. Sem água não existe plantação, o homem e os animais. Na Terra, a água é encontrada em vários lugares: no mar, nos rios, nas lagoas, nas fontes, etc. Comentar que as pessoas usam a água para beber, cozinhar lavar roupa, pratos, regar plantas, etc. A água que bebemos é limpa, sem cor, de temperatura agradável e que devemos beber apenas água filtrada ou mineral. Faremos desenhos, cartazes, pinturas que retratem a importância da água.
Ø  Com relação ao ar, explicar que ele está em todos os lugares e que sem ele não existiria vida na Terra. É no ar que encontramos o oxigênio para respirarmos. O ar tem outras utilidades: Quem sabe quais? Podemos citar algumas: encher pneus de carro, bicicleta. Encher bolas, bexigas. Movimentar os galhos das árvores, movimentar as ondas do mar. O vento agradável é chamado de brisa e podemos fazer cata-ventos, empinar pipa, etc. usando uma brisa. Os ventos também podem ser muito fortes, destruidores, derrubam casas e levantam muita poeira. Em locais de maior vegetação o ar é mais puro. Nas cidades há mais poluição lançada por chaminés, escapamentos de carros. Propor experiências com bexigas para mostrar que o ar existe apesar de não vermos ou pegarmos.
Ø  Conversar com os alunos sobre as plantas: Quais as fases de crescimento e o que é necessário para que ela se desenvolva. Para isso iremos plantar alguma semente para que possam cuidar e observar seu crescimento. Conheceremos através de figuras a diferença entre um jardim, uma horta e um pomar. Conversar e mostrar as partes de uma planta (raiz, caule, folhas, frutos, sementes) reconhecendo a importância da cada parte. Fazer desenhos, passeios em locais de muita vegetação.
Ø  Explicaremos aos alunos o tema: Ecologia. O que ele significa e as lutas dos ecologistas em defesa da natureza.
Ø  Fazer com os alunos dois cartazes, onde ilustre a natureza sem a agressão do homem e outro com a natureza destruída.
Ø  Explicar aos alunos que para amenizar este problema é necessário que cada um faça um pouquinho, como: não jogar lixo nas ruas, nos terrenos, plantar árvores e flores, etc.
Ø  Vamos conhecer o nome de árvores frutíferas e algumas flores.
Ø  Faremos dobraduras como: árvores e flores.
Ø  Iremos fazer uma experiência de um jardim portátil, usando cascas de ovo, usar sementes ou mudas de flores.
Ø  Fazer desenhos, recortes e colagens sobre a natureza.
Ø  Conversar com os alunos sobre os animais.
Ø  Onde veremos que os animais são seres vivos. Eles nascem, crescem, se reproduzem, envelhecem e morrem.
Ø  Falaremos sobre o nascimento dos animais que alguns nascem do ovo e que ele é chocado até que sua casca se quebre e nasça um lindo filhotinho.
Ø  Outros animais nascem como nós, seres humanos. Formam-se e crescem dentro da barriga da mãe, e depois de certo tempo, nascem.
Ø  Comentaremos sobre a alimentação dos animais, há animais que se alimentam de plantas, outros de animais mesmo e existem os que comem os dois. Veremos as moradias dos animais onde há alguns que constroem suas casas. Ex: aranha, abelha. Outros procuram lugares para se proteger, como: os macacos, os esquilos. E outros que cujas casas são construídas pelo homem: cachorro, gato.
Ø  Observaremos as diferenças que existem entre os animais, como: lugar onde vivem o tamanho, a cobertura, o número de pés, locomoção. Veremos quais são os animais domésticos e os selvagens, os animais úteis e nocivos ao homem.
Ø  Faremos imitações onde a criança reproduzirá o som, a locomoção dos animais.
Ø  Realizaremos desenhos, pinturas, dobraduras, recortes, colagens, sucatas, modelagens, e construiremos um móbile de joaninhas.
Ø  Em linguagem, trabalharemos o texto: Joaninha (rimas), e as músicas: A minha Gatinha Parda, e o Pato; ambos com interpretação da música.
Ø  Em Matemática veremos a quantidade de patas dos animais.
Ø  Confeccionaremos um jogo da memória para cada um com os animais.
Ø  Realizaremos uma visita ao interior de Camboriú em um sítio onde vamos observar os amimais domésticos, as plantas, a água e algumas árvores nativas.


  1. DESENVOLVIMENTO

Ø  Escolha do nome do PROJETO;
Ø  Apresentação ao grupo;
Ø  Apresentação do tema por meio de estratégia pré estabelecida;
Ø  Desenvolvimento das atividades propostas quinzenalmente;
Ø  Separação dos resíduos orgânicos e recicláveis pelas professoras juntamente com as crianças;
Ø  Culminância do projeto com apresentação e relatório das atividades desenvolvidas no âmbito do projeto;
Ø  Divulgação do projeto na página virtual do CEI;

  1. CRONOGRAMA

O período previsto para o desenvolvimento do projeto é de aproximadamente 03 meses (início: 21/03/2012 – término: 21/06/2012). Salientamos que sendo este um projeto, pode, portanto, sofrer alterações já que a prioridade é com os envolvidos no processo, os alunos.

  1. AVALIAÇÃO

A avaliação será contínua ao longo do processo, levando-se em consideração, as atividades desenvolvidas, a interação dos pequenos com as mesmas e com o grupo e o desenvolvimento destes quanto aos objetivos propostos. Será utilizado a ferramenta do Diário de Bordo[1].


REFERÊNCIAS


BRASIL. REFERENCIAIS CURRICULARES NACIONAIS PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL – RCNEI, Ministério da Educação. Secretária da Educação Fundamental – 3. ed. Brasília : Secretaria, 2001.


CAMBORIÚ – SC. Secretaria de Educação - Diretrizes Curriculares para Educação Infantil – (Assessoria – Sinergia), 2008.


CAMBORIÚ – SC. Secretaria de Educação – Plano de Ensino para Educação Infantil – (Assessoria – Sinergia), 2010.


LDB, Lei 9394 – 24 de dezembro de 1996. Lei de diretrizes e bases da educação nacional. Brasília: Ministério da Educação, 1996.


ARENDT, H. A crise da educação. In: Entre o passado e o futuro. São Paulo: Perspectiva, 1972, p. 221-247.


VYGOTSKY, L. S. A formação social da mente: o desenvolvimento dos processos psicológicos superiores. 4ª ed. São Paulo: Martins Fontes, 1991.



[1] O Diário de Bordo é um caderno ou pasta no qual o educador registra as etapas que realiza no desenvolvimento do projeto. Este registro deve ser detalhado e preciso, indicando datas e locais de todos os fatos, passos, descobertas e indagações, investigações, entrevistas, testes, resultados e respectivas análises. Como o próprio nome diz, este é um Diário que será preenchido ao longo de todo o trabalho, trazendo as anotações, rascunhos, e qualquer ideia que possa ter surgido no decorrer do desenvolvimento do projeto. O Diário não precisa ser realizado no computador, e as anotações podem ser feitas em um caderno de capa dura. 




PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMBORIÚ
SECRETARIA DA EDUCAÇÃO E CULTURA
CEI ODETE RAMOS POLTRONIERI

PROJETO:
IDENTIDADE E AUTONOMIA: PLANTE ESTA IDEIA!


Camboriú – SC, Março de 2013.

PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMBORIÚ
SECRETARIA DA EDUCAÇÃO E CULTURA
SECRETÁRIA DE EDUCAÇÃO: FÁTIMA NAIR BAMBINETTI GERVÁSIO
SECRETÁRIA ADJUNTA: CELI UTRERA STEVANIN
CEI ODETE RAMOS POLTRONIERI
COORDENADORA DE EDUCAÇÃO INFANTIL: Mª APARECIDA TODESCO
COORDENADORA DO CEI: TALITA CRISTIANE LINHARES VELOSO
SECRETÁRIA: ALAÍDE SHEILA SCHROEDER

PROFESSORA AUTORA: SÔNIA NEVES

PROFESSORAS EXECUTADORAS DO PROJETO:
PROFESSORA REGENTE: SÔNIA NEVES

PROFESSORAS MONITORAS:

IRIA DALFOVO
VALDIRENE MATIAS
ANA CAROLINA DA SILVA JANENE
JEANNE PACHECO KERR
SHEILA VANUZA DE SOUZA


Receba nossas atividades Digite aqui seu email:

Postar um comentário

Pesquise temas do seu interesse aqui

Seguidores

Este blog está protegido por direitos autorais

É expressamente proibida cópia total ou parcial das atividades artigos e projetos da marca " Meus Trabalhos Pedagógicos ® " e da autora Andreza Melo Menezes.

Google+ Followers

Meus Trabalhos Pedagógicos ®

Postagens populares

Atividades Evangélicas

Desafio Emagrecer

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger... Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...