expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Curta nossa página e acompanhe tudo o que acontece!

segunda-feira, 8 de julho de 2013

O que é síndrome de Asperger?

Pesquisando a Síndrome de Asperger encontrei textos interessante e vou dividir com vocês, pois se trata de um distúrbio não raro, mas em alguns casos difícil de ser diagnosticado.




Introdução:

- Foi descrito pela primeira vez em 1943, por Léo Kranner
- Consiste num síndrome caracterizado por desvios:
-O autismo é a segunda causa mais frequente de deficiência mental, depois do Síndrome de Down;
-A sua etiologia é actualmente desconhecida, atribuindo-se mais provavelmente a factores pré natais, como anomalias cromossómicas e infecções virais intra-uterinas;
-Incapacidade no desenvolvimento mental e emocional, não tem cura e manifesta-se nos 3 primeiros anos de vida;
-A maioria das crianças autistas não desenvolve contacto físico, verbal e visual com os demais;
-80% apresentam défice cognitivo;
-Capacidades extraordinárias de memorização, e quando o défice cognitivo não está presente, o Q.I. pode situar-se acima da média.


Manifestações Clínicas Sistêmicas
-Comportamento fora do habitual, não reagindo a estímulos do seu meio;
-Apresentam:
1.hipotonia muscular
2.má coordenação motora
3. espasmos involuntários e hiperativos dos joelhos 
4.estrabismo
-A criança autista é incapaz de estabelecer relações sociais e de perceber os sentimentos dos que a rodeiam, sendo insensível muitas vezes até à própria dor.
-Comportamentos agressivos e auto-destrutivos podem existir, juntamente com obsessões relativas a rotinas, ambientes e objetos;


Manifestações Clínicas orais

-Não existe nenhuma patologia oral exclusiva do autismo;
-A presença de nódoas negras, de feridas na zona da cabeça e face, bem como úlceras no interior da cavidade oral são manifestações que resultam dos comportamentos destrutivos e de auto-mutilação.
-Lesões de Cárie  Dentária
-Devido às rotinas restritas, associadas à preferência por alimentos doces, de consistência mole, e à má coordenação da língua, a susceptibilidade para a cárie dentária é maior nestes pacientes;
-Educação dos pais responsáveis por crianças autistas para a  manutenção de uma boa saúde oral.
-Bruxismo e Erosão Dentária
-Um estudo de um caso severo de bruxismo, numa criança autista, demonstra que a aplicação de toxina botulíca tipo-A, injectada em cada masseter, reduz a frequência e severidade desta condição, prolongando-se o seu efeito até dois meses, com mínimas reacções adversas (Monroy e Fonseca, 2006)


-A síndrome de Asperger é um síndrome do espectro autista e diferencia-se do autismo por não apresentar nenhum atraso global no desenvolvimento cognitivo ou da linguagem do indivíduo.


É caracterizado por:
-Interesses específicos e restritos ou preocupações com um tema em detrimento de outras actividades (geralmente possuem algum interesse específico excessivo e podem tornar-se muito bons numa área específica);
-Rituais ou comportamentos repetitivos;
-Peculiaridades na fala e na linguagem;
-Padrões de pensamento lógico/técnico extensivo;
-Comportamento socialmente e emocionalmente impróprio e problemas de interacção interpessoal;
-Problemas na comunicação (a linguagem parece artificial);
-Habilidade de desenhar para compensar a dificuldade de se expressar verbalmente;
-Transtornos motores, movimentos desajeitados e descoordenados.
-Segundo alguns estudos, apresentam imaginação e criatividade fantasiosa mais reduzida do que uma criatividade com bases em fatos reais;
-Frequentemente, apresentam um Q.I. verbal significativamente mais elevado que o não-verbal.


Controvérsias na classificação

-Vários médicos referem que o Síndrome de Asperger não é um distúrbio separado e distinto, mas sim, um autismo de alta funcionalidade (AAF). Contudo, os diagnósticos do Síndrome de Asperger e AAF são utilizados indistintamente. Desta forma, a mesma criança pode ter diferentes diagnósticos, dependendo do método aplicado pelo médico. Algumas crianças podem ser diagnosticadas com AAF em vez de Síndrome de Asperger e vice-versa (Bauer, 1995).


Prevalência do Síndrome de Asperger
-A prevalência do autismo é de 4 em 10.000 crianças e estima-se que o Síndrome de Asperger seja de 20 a 25 por 10.000.
-Isto significa que para cada novo caso de Autismo, as escolas devem encontrar diversas crianças com o quadro de Síndrome de Asperger (Bauer, 1995).
-Algumas crianças e jovens portadoras do Síndrome de Asperger não têm capacidade de expressas o seu próprio estado emocional nem de identificar o que é socialmente “aceitável”. Estas crianças precisam de aprender estas aptidões sociais de maneira clara e lógica como a Matemática, em vez de intuitivamente, por meio da interacção emocional normal (Levanthal-Belfer et al., 2004).

Tratamento
-O tratamento do Síndrome de Asperger e Autismo assenta essencialmente em processos psicoterapêuticos individualizados.
-Ele requer intervenção a diferentes níveis, envolvendo necessariamente apoio psicológico e educacional, que devem ser prestados em colaboração estreita pelos diferentes profissionais (inclusive Médicos Dentistas).
-Este apoio deve incidir nas dificuldades específicas da criança.


Considerações para o tratamento dentário
-Os pacientes autistas possuem múltiplos problemas médicos e de comportamento que tornam o tratamento dentário difícil.
-Este dependerá do atraso de desenvolvimento, das habilidade cognitivas e do grau de hiperatividade que apresentam.
-Os pacientes autistas tornam-se muitas vezes incapazes de cooperar no consultório dentário:
-Considerações para o tratamento dentário
-A abordagem médico-dentária  destes pacientes é um processo que requer muito tempo e paciência
-É recomendado que o Médico Dentista receba o paciente, na sua primeira consulta, num local diferente do operatório, por exemplo na sua sala privada.

1.história clínica
2.exame clínico possível, evitando estímulos perturbadores como a luz operatória e sons incómodos, que possam interferir com a sensibilidade do paciente.

O ideal no tratamento dentário destes pacientes é:
1.estabelecer uma rotina, relativa ao dia da consulta, do horário e do profissional;
2.sessões curtas de 10 a 15 min
3.o reforço positivo e o controlo de voz se podem mostrar como as técnicas mais eficazes de controlo do comportamento.

-Os tratamentos dentários podem ser facilitados, quando indicado, pelo uso de
§imobilização parcial
§Imobilização completa
-A imobilização pode ser executada por pais, por dentistas, ou por uma equipa de auxiliares.
-Existem também sistemas de imobilização comerciais que podem ser preferidos, conforme o paciente ou a experiência do profissional.
-Paciente autista sob contenção física
-O controle medicamentoso do comportamento pode ser necessário. 
-Isto pode envolver medicamentos usados por via oral ou injectáveis.
-Em alguns casos, a anestesia geral é a técnica de primeira escolha.

Para baixar:



(Arquivos de terceiros, hospedados no site 4Shared, necessário fazer ou criar um login para baixar o arquivo no seu computador, os links foram testados por mim e estão livre de vírus)

Receba nossas atividades Digite aqui seu email:
Postar um comentário

Pesquise temas do seu interesse aqui

Seguidores

Este blog está protegido por direitos autorais

É expressamente proibida cópia total ou parcial das atividades artigos e projetos da marca " Meus Trabalhos Pedagógicos ® " e da autora Andreza Melo Menezes.

Google+ Followers

Meus Trabalhos Pedagógicos ®

Postagens populares

Atividades Evangélicas

Desafio Emagrecer

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger... Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...